Um estudo publicado no Journal of Studies on Alcohol and Drugs sugere que 20 passos bastam para um smartphone revele, com 90% de precisão, quando os seus donos beberam demais.

Foi dada aos 22 participantes, entre os 21 e os 43 anos, para beber uma mistura de vodka e sumo de lima até atingirem o limite permitido por lei para conduzir nos EUA e no Reino-Unido – 80mg por 100ml de sangue. Baseando os cálculos no peso de cada participante, a vodka-lima era suficiente para resultar numa concentração de 0.2 de alcoól no hálito.

Com os smartphones colocados na zona lombar, e equipados com um acelerómetro de três eixos, os candidatos tiveram de executar uma tarefa simples a cada hora: andar 10 passos, em linha recta, para a frente e voltar 10 passos para a posição inicial.

Os sensores foram capazes de detectar com uma precisão de 90% se os seus utilizadores estavam acima do limite legal de alcoól para conduzir, apenas através da sua forma de andar. Resultado que se traduz numa forte possibilidade de este tipo de funcionalidade vir a fazer parte dos nossos dispositivos num futuro próximo.

A equipa de investigadores foi liderada por Brian Suffoletto, do Departamento de Emergência Médica da Universidade de Stanford, na Califórnia, irá agora conduzir novos testes de forma a perceber se a precisão se mantém caso os utilizadores levem os smartphones na mão ou nos bolsos.

RESPONDE_

comentar_
nome_