A Amazon anunciou esta semana o lançamento de um conjunto de ferramentas para o seu serviço de nuvem, o Amazon Web Services (AWS), que permite aos programadores desenvolver aplicações que programem robôs – chamado AWS Robomaker.

Desta forma, os programadores têm acesso a uma série de sistemas operativos amplamente utilizados na robótica e aos serviços-núcleo da AWS como machine learning, monitorização e ferramentas de análise.

Vê aqui o vídeo sobre a iniciativa:

A tecnológica disponibiliza ainda, na sua própria Machine Learning University, mais de 30 cursos online self-service, indicados para programadores, cientistas de dados, e outros profissionais do sector – sendo atribuído o respectivo certificado após a conclusão do(s) curso(s) com sucesso. Os utilizadores pagam apenas pelos serviços utilizados em laboratório e para obter a certificação, sendo o resto do treino gratuito.

Disseste machine learning?

Os robôs não são mais que máquinas, mais ou menos complexas, que realizam tarefas. Como explica a Amazon, para que isso aconteça, o robô necessita de receber instruções precisas que lhes dirão como se comportar em determinada situação.

Para que o façam com êxito, necessitam de ser programados através de aplicações que lhes indiquem como desempenhar tarefas. Umas mais simples, como movimentarem-se, receber e processar dados através de sensores, ou executar determinada tarefa, outras mais complexas, como reconhecer uma cara, um objecto, um comando por voz, ter uma conversa, ou deslocarem-se autonomamente – adaptando-se constantemente ao ambiente que os rodeia.

Enquanto as operações mais simples precisam de comandos relativamente simples, as mais complexas exigem a programação de machine learning – que permite à máquina aprender e optimizar-se com as tarefas desempenhadas, de forma a executá-las cada vez melhor por si só. Construir robôs inteligentes, que aprendem sozinhos, requer conhecimentos específicos por parte dos programadores.

Para além disso, arquitectar um ambiente de desenvolvimento pode demorar dias a construir e estabelecer um sistema de simulação realístico para testar a aplicação pode levar meses, sem contar com as infraestruturas necessárias a este processo. Depois de ultrapassados estes desafios, o programador precisa de um robô onde possa descarregar a aplicação que desenvolveu e testou e, mais tarde, actualizar a aplicação com o robô em acção.

É aqui que o programador – e demais profissionais da área – se pode socorrer da Amazon, utilizando o seu serviço para criar o modelo de uma área (ou utilizar os modelos pré-existentes), onde o robô vai completar as tarefas que lhe vão dar o conhecimento necessário para alimentar os algoritmos de machine learning e melhorar o seu desempenho.

RESPONDE_

comentar_
nome_